birra em tempos de isolamento

Birra em tempos de isolamento: como lidar?

Para essa semana, contamos com a psicóloga infantil Nathalia Brandão para falar sobre um tema tão temido em tempos de isolamento: a famosa birra dos bebês e das crianças em tempos de isolamento!

Nathalia nos explica que o isolamento social e o convívio familiar 24 horas por dia deixou pais e filhos com as emoções à flor da pele. A birra, a malcriação, a manha e o choro marcaram e têm marcado presença durante esse período.

Portanto, como lidar com as emoções dos pequenos dentro de casa? Com lidar com a temida birra em tempos de isolamento? É o que a psicóloga explica no texto abaixo, que também pode ser conferido em vídeo ao final dessa página!

Sobre Nathalia Brandão

Psicóloga Clínica de Crianças e Adolescentes com formação em Psicologia Perinatal e Parentalidade, Nathalia faz parte do time de especialistas renomados Baby Concierge!

Além de doutora, ainda ministra aulas em curso de Pós Graduação de Psicologia.

Saiba mais em sua página no nosso site.

Os possíveis motivos da birra em tempos de isolamento

Segundo a psicóloga, se a birra por si só já causa um monte de dúvidas, imaginem a birra em tempos de isolamento? Nossas crianças foram privadas do convívio social, privadas do convívio afetivo, de estarem em um parquinho, de fazerem atividades físicas ao ar livre, entre outras atividades que estavam acostumadas.

Infelizmente, elas foram privadas de tantas coisas que as emoções só aumentaram.  Fora isso, quando elas se encontram numa situação de frustração, essas emoções tendem a explodir.

É sabido por todos que quando a criança recebe um não, em geral, já é bem difícil de lidar. Isso porque muitas vezes ela simplesmente não consegue entender porque não podem fazer determinada coisa, porque não podem comer ou porque não podem estar em um ambiente específico… Já era de esperar que em tempos de isolamento seria ainda mais difícil, não é mesmo?

Reclamações dos pais sobre a birra em tempos de isolamento

As reclamações nessa quarentena foram inúmeras, envolvendo filhos (as): que estavam gritando, se jogando e chorando mais que o normal… Mas então, o que fazer e como lidar com isso?

Nathalia explica que não é fácil lidar com esse momento, pois as famílias tendem a ficar tão irritadas quanto a criança quando começa a agir dessa maneira.

Sugestões de como lidar com a birra

Primeiramente, temos que entender que o adulto dessa situação somos nós e que nós já temos uma capacidade maior para lidar com as frustrações. Portanto, precisamos tentar estar calmos para ajudar essa criança a se acalmar também e a lidar com a fase de frustração que está passando.

Além disso, precisamos oferecer para ela uma outra situação que a tire desse ciclo de irritação. Segundo a psicóloga, de nada vai adiantar ficarmos do lado daquela criança que já está irritada e chorando, falando, brigando ou tentando controlar seu comportamento e reações.

Nessa fase, é como se ela estivesse com tampões de ouvido. Ou seja, certamente não irá escutar ou “entender” nada.

Nathalia explica que o que vai adiantar é tentarmos oferecer para essa criança uma outra situação que tire ela desse foco de irritação. Isso certamente talvez ajude a lidar com a famosa birra em tempos de isolamento.

E quais as situações que podemos oferecer?

Oferecer outro alimento ou outra brincadeira, por exemplo, para que essa criança consiga sair desse ciclo é super recomendável para lidar com a birra em tempos de isolamento. A doutora reforça que de nada vai adiantar brigar e/ou colocar de castigo, pois ela não irá aprender a lidar com essa situação dessa forma.

Sendo assim, ela só vai aprender a lidar com essas frustrações se conseguirmos oferecer mecanismos para que consiga por ela mesma pensar em uma outra forma de agir e/ou colocar essas emoções em outro lugar.

Quais as idades mais comuns da birra?

A birra normalmente é mais acirrada no período de 1 a 3 anos, mas alguns autores falam também nos 4 ou 5….

Nathalia acredita também que a birra já começa antes da criança completar 1 ano!

Afinal, quem nunca se deparou com um bebê de 6 meses se jogando para trás, chorando ou se debatendo em situações em que falamos não?

Muitas vezes ao negarmos que essa criança mexa em alguma coisa, por exemplo, elas já começam a jogar as coisas longe e podemos imediatamente perceber uma intolerância à frustração.

A psicóloga também pontua que essa birra pode ir até mesmo aos 7 ou 8 anos de idade. Nesse caso, a criança teoricamente ainda não conseguiu aprender a lidar muito bem com as suas frustrações.

Porém, ela reforça que não há problema algum com isso. Essa situação não deixa de ser normal, pois cada criança vai enxergar o mundo na qual ela está inserida de uma forma diferente.

Mais dicas de como lidar com a birra em tempos de isolamento

Durante a quarentena, o que indicamos fazer para que essas situações de birra em tempos de isolamento sejam menores ou para que elas possam ser mais leves?

De acordo com Nathalia, elas vão continuar acontecendo, mas talvez aconteçam com menos frequência, serão mais leves e por um período mais curto, se tomarmos as atitudes certas!

Reduzir o acesso à tecnologia e aumentar o contato direto com os pais

O ideal é que o acesso às telas seja um pouco menos oferecido, por exemplo. Em outras palavras, o acesso à tecnologia. É fácil? Não… Mas se pudermos oferecer outras brincadeiras e/ou situações em que as crianças possam criar as suas próprias atividades, fica mais tranquilo de lidarmos com essas situações.

Se conseguirmos também ter momentos mais dedicados a essa criança, como, por exemplo, ficar 30 minutos ao dia ao lado delas brincando, as situações também tendem a serem amenizadas.

Consequentemente, elas passam a criar mais elos com seus pais e a desenvolver uma ligação maior emocional. Além disso, durante as atividades, é comum que as famílias consigam colocar um limite maior para essas crianças, até no momento da brincadeira, deixando mais claro o que pode ou o que não pode.

Isso porque muitas vezes os pais conseguem analisar mais as situações, frustrações e questões de seus filhos durante as brincadeiras. 🙂

Para concluir

Sim, Nathalia explica a birra em tempos de isolamento é muito difícil de lidar, mas que certamente somos capazes se conseguirmos lembrar que o adulto da história somos nós!

Ou seja, se não conseguirmos ficar calmos e tranquilos para ajudar a criança a lidar com suas questões, ela certamente terá dificuldades para lidar com essas situações.

Ainda com duvidas? Entre em contato por meio das nossas redes sociais (instagram / facebook) que faremos a intermediação entre você e a profissional Nathalia Brandão com todo prazer!

Esperamos que tenham gostado do tema da semana e, aproveitando, indicamos também a leitura do texto Saiba como aliviar a dor do parto com métodos não farmacológicos” que está absolutamente imperdível!

Vamos ter ainda mais benefícios com o Baby Concierge?

Já imaginou ter acesso a conteúdos ainda mais detalhados formulados pelos maiores especialistas materno-infantil do país? Assine agora mesmo por apenas R$19,90 ao mês e ainda tenha direito a 7 dias grátis!

Além disso, vale sempre reforçar que assinando o Baby Concierge você ainda tem acesso aos descontos exclusivos de até 50% em mais de 100 marcas parceiras e 40 especialistas materno-infantil!  

Veja abaixo o conteúdo da semana em forma de vídeo também:

 

 

Compartilhe

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on print
Share on email

Artigos Relacionados